Miami – O lobista Jorge Luz e seu filho são presos em no Aeroporto Internacional de Miami. Ambos eram procurados pelos agentes da Polícia Federal e tiveram seus mandados de prisão preventiva decretados na Operação Blackout, 38ª fase da Operação da Lava Jato, realizada no último dia 23.

Ambos foram detidos no setor de imigração do Aeroporto e estavam com documentação incompleta, além de vistos vencidos. Jorge e Bruno foram acusados de pagar propinas no exterior.

A força-tarefa da Lava Jato pediu ao juiz responsável Sérgio Moro a prisão de ambos após identificar que eles deixaram o Brasil e ao serem informados que os dois possuem dupla nacionalidade.

Casos de extradição podem acontecer caso existam mandados de prisão contra as pessoas envolvidas. No entanto, os operadores foram presos pela polícia de imigração americana (Homeland Security e Immigration Enforcement) por irregularidades nos documentos de permanência no país.

Contudo, existe uma grande possibilidade de eles serem expulsos ou deportados, já que estas são atuais procedimentos que estão sendo realizados nos últimos dias, seguindo a nova política do Presidente Trump.

Segundo a polícia, Bruno Luz havia viajado para os EUA em 16 de agosto do ano passado. Jorge Luz, havia saído do Brasil antes dos pedidos de prisão, quando e somente após a fuga a Polícia Federal pediu a inclusão deles na difusão vermelha da Interpol.