VPK: Como funciona a Pré-escola na Florida

0
315

Com suas delícias e seus desafios, 2017 começou com muitas promessas – e com muito trabalho, porque a maternidade não prevê férias. Em janeiro minha Emma completou 4 anos, e chegou assim à idade escolar.
Quer dizer, isso de um ponto de vista pessoal, uma vez que o Voluntary Pre Kindergarten (VPK) – o nosso pré, lá no Brasil – é opcional no estado da Flórida.
Tomei a decisão de matricular a minha filha mais velha na escola logo aos 4 anos porque entendo que esse programa ajuda as crianças a se prepararem para a vida acadêmica, e porque é um exercício importante de sociedade, já que em sala de aula eles têm a chance de conviver com colegas de realidades diferentes.
Como acontece nas demais etapas escolares, o ano letivo aqui se inicia em agosto/setembro, e podem ser matriculadas no VPK os pequenos que completam 4 anos até o dia 2 de setembro.
Por já ter vivenciado todas as etapas burocráticas e emocionais da iniciação escolar com a Rebecca, tenho referências e tempo para conhecer novas instituições e métodos de ensino diversificados, a fim de encontrar o que se encaixa melhor no perfil da Emma.
A parte mais difícil, para mim, foi escolher a escola certa; optar pela instituição que estivesse mais afinada com os nossos valores familiares e que ainda suprisse os inúmeros requisitos impostos por uma “mãe chata”.
Investi meses a fio comparando as notas, os endereços e os diferenciais das escolas, e o fiz de caso pensado, sem pressa, pois somente com informações detalhadas em mãos estaria segura para, enfim, tomar minha decisão.
Tamanho preciosismo, porém, atrasou um bocado os meus planos: as mães costumam matricular seus filhos em fevereiro para o ano letivo que começa em agosto/setembro.
Assim, das três escolas que selecionei e visitei, todas já estavam completas e com lista de espera – e aí bateu aquele desespero! Por sorte, a secretária de uma escola metodista indicou uma instituição que muito me agradou, e passou a ser a escolinha da Rebecca.
Então, para as mães que embarcam agora nessa “aventura”, recomendo que procurem no website de seu condado as escolas que mais se encaixam no seu perfil e no perfil do seu pequeno, e que corresponda (e até supere) suas expectativas.
Para concluir, vale lembrar que o estado da Flórida oferece o programa gratuitamente e, novamente, ele não é obrigatório.
Como haveria de ser, fica sob inteira responsabilidade dos pais julgar o melhor momento de seus filhos iniciarem a vida escolar – e aqui em casa essa questão foi tratada com a urgência e seriedade que pede, visando um futuro melhor para eles.